Futebol Feminino em Mocambique ...

Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Futebol Feminino em Moçambique

Este blog tem como objectivo divulgar informação de carácter desportivo

Futebol Feminino em Moçambique

Este blog tem como objectivo divulgar informação de carácter desportivo

FMF confirma Black Bulls, Matchedje de Mocuba e Ferroviário de Lichinga no Moçambola 2020

BLACKBULLSS.jpg

 

Já é oficial! Associação Black Bulls (ABB), Matchedje de Mocuba e Ferroviário de Lichinga são as três equipas que ascendem ao Moçambola 2020. A Federação Moçambicana de Futebol, emitiu um comunicado a promulgar os vencedores das zonas Sul, Centro e Norte, após estes terem terminado o Campeonato Nacional da Divisão de Honra, da edição 2019, em primeiro lugar, nas respectivas tabelas classificativas.
 
Na Zona Sul: Black Bulls não deixou margem para dúvida


Também conhecida por equipa sensação, a ABB, que tinha a Associação Desportiva de Macuácua como a sua principal adversária na luta pela presença, no próximo ano, na maior prova de prestígio nacional, foi mais forte e conseguiu apurar-se após isolar-se na tabela classificativa com 51 pontos.

A Associação Black Bulls se tem evidenciado nos escalões de formação ao nível da cidade de Maputo, tendo ganho todas provas, com a excepção da categoria de iniciados que foi conquistada pelo Desportivo Maputo.
 
Na Zona Centro não houve “moleza”


No Centro foi necessária uma finalíssima. É que o Ferroviário de Quelimane e o Matchedje de Mocuba encontravam-se empatados no topo da tabela, com 31 pontos cada, bem como no número de golos marcados e sofridos no confronto directo. No jogo do “tudo ou nada” a turma de Mocuba foi mais fria e eficaz, vencendo, por 2-0, tendo, portanto, se sagrado campeã e representante da zona no Moçambola 2020. Aliás, o Matchedje faz o Moçambola regressar a Zambézia, depois da despromoção do 1o de Maio de Quelimane, ano passado.
 
Na Zona Norte: Ferroviário de Lichinga é que segue


A denúncia do Sporting de Nampula, sobre alegada má utilização de um jogador pelo Ferroviário de Lichinga ainda não teve desfecho, já que o caso está no Conselho Jurisdicional da Federação Moçambicana de Futebol (FMF).

É que uma suposta utilização de um atleta congolês, de nome Mutamba Ngoy, mas que alinhou este ano no Ferroviário de Lichinga com um Bilhete de Identidade alegadamente emitido pela Direcção Nacional de Identificação Civil com o nome de Alberto João Noé, colocou o Ferroviário da capital do Niassa “em maus lençóis”, e sem que ainda haja algum pronunciamento por parte do Conselho Jurisdicional, a Federação Moçambicana de Futebol promulgou a subida deste formação ao Moçambola do próximo ano.

Refira-se que o Ferroviário de Lichinga aguardava pela deliberação da FMF em relação à sua ascensão, depois de divulgado o “caso Ngoy”.

Estas três equipas vão ocupar os lugares que serão deixados vagos por cinco equipas que vão descer de divisão, no Moçambola 2019, perfazendo 14 equipas que vão disputar a prova, em 2020.

 

Fonte:Opais

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.