Futebol Feminino em Mocambique ...

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Futebol Feminino em Moçambique

Este blog tem como objectivo divulgar informação de carácter desportivo

Futebol Feminino em Moçambique

Este blog tem como objectivo divulgar informação de carácter desportivo

Lichinga goleia Nyúnguè

 

 

 

A UNIÃO desportiva de Lichinga recebeu e goleou o Nyúnguè de Tete por 7-0, em partida da sexta jornada da Liga Nacional de Futebol Feminino (LNFF), marcada por faltas de comparência.

 

Com o triunfo, a equipa do Niassa assalta provisoriamente o comando da prova, com 10 pontos, os mesmos do Benfica de Laulane, que perdeu por falta de comparência ao jogo que devia realizar em Inhambane, frente ao Clube de Muelé.

 

Outra falta de comparência verificou-se no embate que deveria opor Fanta da Beira ao Cosmos de Maputo, mas a equipa da capital do país não se fez ao terreno.

 

 Com efeito, às duas formações, Benfica e Cosmos, foram aplicadas derrotas por 3-0, e, segundo a LNFF, caso repitam cenas idênticas serão automaticamente excluídas da prova, segundo mandam os regulamentos da competição.

 

As faltas de comparências têm sido marca desta competição, com as equipas, muitas das vezes, a não se fazerem aos jogos, alegadamente por problemas financeiros e logísticos.

 

Entretanto, a prova prossegue amanhã com quatro jogos. No campo de Namutequeliua, em Nampula, o Viveiros recebe a União Desportiva de Lichinga.

 

 No Estádio Municipal de Muhala, também em Nampula, o Cocorico mede forças com o Nyúnguè de Tete. No campo municipal de Dondo, Fanta da Beira recebe Benfica de Laulane.

 

Em Inhambane, o Clube de Muelé bate-se com o Cosmos de Maputo. Todos os jogos têm início às 15.00 horas.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Benfica de Laulane tenta segurar liderança

 

O BENFICA de Laulane desloca-se amanhã a Inhambane para medir forças com o Clube de Muelé, numa das partidas mais aguardadas de mais uma ronda da Liga Nacional de Futebol Feminino (LNFF).

 

Em Inhambane, o Benfica deverá fazer das tripas o coração para sair com a liderança intacta, pelo que o único resultado que interessa às “encarnadas” é a vitória. O jogo não se afigura fácil, dado que Muelé é uma das equipas mais temíveis desta prova, sobretudo quando actua no seu reduto.

 

Outra equipa que luta pela liderança e pelo título é a União Desportiva de Lichinga, actual vice-campeã, que mede forças com a estreante Nyúnguè FC de Tete. Uma vitória para a equipa do Niassa, actual terceiro classificado, com sete pontos, pode-lhe permitir a partilha da liderança com o Benfica, se as “encarnadas” perderem em Inhambane.

 

Na Beira, o Fanta local bate-se com o Cosmos de Maputo, num duelo entre duas equipas do meio da tabela. Todos os desafios têm lugar amanhã, a partir das 15.00 horas.

 

O Benfica lidera com 10 pontos, seguido do Costa do Sol com nove. A União Desportiva de Lichinga, com sete, completa o pódio.

 

Fonte:Jornal Noticias

Costa e Sol e Benfica cada vez mais fortes

 

O COSTA do Sol e o Benfica de Laulane estão cada vez mais embalados na Liga Nacional do Futebol Feminino (LNFF), o que deixa antever uma luta titânica pelo título, depois de dois anos de domínio quase que absoluto das “canarinhas”.

 

Na segunda-feira, o Costa do Sol goleou Fanta da Beira por 3-0, tomando de assalto a liderança agora com 10 pontos, mais um que o Benfica de Laulane, com menos um desafio que as “canarinhas”.

 

As “encarnadas”, por sua vez, bateram o Cosmos por 4-2. O Clube de Muelé perdeu na recepção ao Fanta da Beira, sexta-feira, por 1-0.

 

A União Desportiva de Lichinga, que nesta ronda ficou de fora, está na terceira posição com sete pontos, sendo considerada uma das candidatas ao título. Aliás, no ano passado terminou como vice-campeão.

 

A LNFF decorre no sistema clássico de todos-contra-todos, em duas voltas. O Costa do Sol venceu as duas primeiras edições.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

“Canarinhas” cilindram Cosmos

 

DEPOIS da derrota na segunda jornada frente ao Benfica de Laulane por 1-2, o Costa do Sol redimiu-se na terceira da Liga Nacional de Futebol Feminino (LNFF), ao cilindrar o Cosmos de Maputo por 6-1.

 

Com orgulho ferido, as “canarinhas”, bicampeães, não deram hipóteses de reacção ao Cosmos, tendo-se colocado em vantagem logo nos instantes iniciais. Aliás, ao intervalo o Costa do Sol ganhava por 4-1, sendo que na segunda metade aumentou mais dois golos, fixando o resultado final em 6-1.

 

Em Tete, a Padraria Nyúngué empatou a duas bolas na recepção ao Cocorico de Nampula. O líder União Desportiva de Lichinga foi travado com um empate caseiro a uma bola frente a Viveiros. A jornada ficou manchada pela falta de comparência do Clube de Muelé, que devia medir forças com o Benfica de Laulane. Com estes resultados, a UD Lichinga lidera com sete pontos, mais um que o Costa do Sol e Benfica de Laulane, que ocupam o segundo e terceiro postos.

 

Entretanto, a competição prossegue amanhã, com Muelé a medir forças com o Fanta da Beira. Na segunda-feira, o Cosmos bate-se com o Benfica de Laulane e O Costa do Sol mede forças com Fanta da Beira.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

Benfica de Laulane bate campeão

 

O BENFICA de Laulane derrotou o Costa do Sol por 2-1, em jogo mais importante da segunda jornada da Liga Nacional do Futebol Feminino (LNFF). Este foi o primeiro desaire das “canarinhas”, bicampeãs, depois de muitas jornadas neste evento.

 

Aliás, nas primeiras duas edições desta prova o Costa do Sol sempre mostrou supremacia em relação aos adversários, mas na tarde de domingo, contra todas as expectativas, caiu frente ao Benfica de Laulane, que se juntou ao grupo de equipas com três pontos.

 

Mas o resultado mais expressivo da ronda foi conseguido pela União Desportiva de Lichinga, vice-campeã, que cilindrou o Cocorico de Nampula por 8-0, passando a liderar a competição, em função do “goal-average”.

 

O Cosmos de Maputo, equipa que se estreia esta edição na prova, recebeu e perdeu com o Clube de Muelé por 1-3. Muelé redimiu-se desta forma da derrota no jogo de abertura frente ao Costa do Sol, por 2-0.

 

A competição prossegue esta tarde com mais três jogos. Em Tete, a Padaria Nyúnguè recebe o Cocorico de Nampula, a partir das 15.00 horas. A União Desportiva de Lichinga joga, no seu reduto, com Viveiros de Nampula.

 

No campo da Académica, na cidade de Maputo, o Benfica de Laulane mede forças com o Clube de Muelé.

 

Refira que a competição é disputada por nove equipas que jogam no sistema clássico de todos contra todos em duas voltas.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

LIGA FEMININA SÓ EM SETEMBRO

 

A CERIMÓNIA de abertura da Liga Nacional de Futebol Feminino (LNFF), que inicialmente estava marcada para este fim-de-semana, na cidade de Inhambane, foi adiada para 3 de Setembro próximo por razões organizacionais.

 

Com efeito, segundo a LNFF, adiam-se igualmente todos os jogos da jornada inaugural que devia ser disputada este fim-de-semana. O jogo de abertura devia opor o Clube de Muelé ao Costa do Sol, campeão em título.

 

Refira-se que a LNFF entra este ano na sua terceira edição, sendo que as duas anteriores foram ganhas pelo Costa do Sol. Este ano participam, para além das “canarinhas” e Muelé, o Cosmos e Benfica de Laulane, ambos de Maputo.

 

Participam ainda o Clube Feminino da Matola, a Fanta da Beira, a Papelaria Nyúnguè de Tete, o Cocorico e Viveiros FC, de Nampula, e União Desportiva de Lichinga, que representa Niassa.A prova decorre no sistema clássico de todos-contra-todos em duas voltas.

 

 

Fonte:Jornal Noticias

LIGA DESPORTIVA DE MAPUTO - FUTEBOL FEMININO

 

A LDM passa a ter uma equipa de futebol feminino, o grupo de jovens que participavam em campeonatos representando o Bairro Infulene e outros bairros,passam a vestir as cores da LIGA DESPORTIVA DE MAPUTO .
Lembrar que as mesmas são vencedoras da copa coca-cola e Copa Mutola e vão representar Moçambique na Suécia na Copa Gothia.

"Que o desporto seja sempre uma escola de amizade "

FUTEBOL DÁ FORÇA!

 

 

Hoje gostaria de falar sobre uma organização muito importante, dirigida por um amiga sueca que conheci na Suécia. Ela chama-se Cecilia Andrén-Nyström e a sua organizaçao é a “FUTEBOL DÁ FORÇA”!


A Cecilia começou em Moçambique em 2012. Ela teve uma visão: identificou o poder do futebol para promover os direitos das raparigas e das mulheres.

 

No campo de futebol houve a oportunindade de falar sobre muitos temas, como a saúde, os direitos humanos e a violência sexual.

 

Ela começou simplesmente com uma seleção. Desde então, ela formou, com a sua organizacão, muitos treinadores voluntários, que são reconhecidos como líderes da comunidade. “FUTEBOL DÁ FORÇA” é muito popular até porque faz parte da Mutola Cup, um grande torneio nacional, com mais de 2500 jogadoras.

 

Hoje, “FUTEBOL DÁ FORÇA”é uma organização presente na Suécia, Finlândia, Moçambique e Zâmbia.

 

Eu tive o privilégio de conhecer a Cecilia na Suécia num Ted Talk, e ela supreendreu-me com a sua força de vontade e visão, porque eu também trabalhou em projetos ligados ao futebol no Kénia.

 

Eu espero que um dia vou poder colaborar com Cecilia e com “FUTEBOL DÁ FORÇA” em Moçambique!

 

Para maiores informações: http://www.futeboldaforca.com/pt

 

 

Fonte:Jan Claus Di Blasio

“Nacional” terá dez equipas este ano

 

A TERCEIRA edição da Liga Nacional de Futebol Feminino (LNFF) contará com mais duas equipas, comparativamente às duas edições anteriores, passando de oito para dez formações.

 

A prova arranca em Julho e, segundo o presidente LNFF, Augusto Jamine, a mesma conhecerá muitas melhorias este ano, quer em termos competitivos, assim como logísticos.

 

Com efeito, segundo Jamine, o sorteio para a competição irá acontecer em Junho, sendo que a Assembleia-Geral do organismo terá lugar nos meados deste mês. A referida AG irá definir os moldes de disputa da prova, que em princípio deverá prolongar-se até Outubro.

 

Jamine faz o balanço da segunda edição da Liga Feminina, uma vez mais ganha pelo Costa do Sol, contanto que as equipas se bateram muito bem. Segundo ele, houve menos faltas de comparência e, de uma forma geral, menos problemas.

 

Para a terceira edição da LNFF o dirigente daquela instituição diz que são necessários 25 milhões de meticais, ou seja, uma assinalável subida em relação à edição 2015, que rondou à volta dos 20 milhões.

 

O presidente da LNFF garante igualmente o aumento no número de patrocinadores na edição deste ano, o que contribuirá para a sustentabilidade da prova.

 

Com o aumento de mais duas equipas, apenas uma que participou na edição do ano passado é que deverá descer de divisão, em princípio o último classificado.

 

Refira-se que a LNFF é disputada no sistema clássico de todos-contra-todos em duas voltas.

 

Fonte:Jornal Noticias

QUERIAM QUE JOGASSE BÁSQUETE - afirma Inês Chingueleza

 

INÊS Chingueleza, 25 anos, teve que lutar contra tudo e todos para manter firme a sua preferência pelo futebol. Quando começou a jogar, aos 9 anos, no bairro T-3, em 1999, tudo ainda era muito novo. Falar de futebol feminino era quase proibido.

 

Tive que travar uma luta diária com amigas, amigos. Queriam que praticasse básquete ou outra modalidade, que segundo eles se adequava mais ao género feminino. A minha opção em jogar futebol foi alvo de muitas críticas de pessoas próximas de mim. Todos os dias tinha que ouvir os meus amigos a aconselharem-me para jogar básquete. Eu tinha paciência para ouvir e respeitava essas opiniões, mas nunca deixei de manter firme a minha paixão pelo futebol”, afirmou.

 

Se fora de casa, a atleta teve alguns constrangimentos, no meio familiar contou com apoio incondicional da sua mãe.

 

A minha mãe sempre me apoiou. Esteve presente em todos os momentos da minha carreira, sobretudo nos mais difíceis. Posso dizer que ela deu-me muita força para continuar a jogar

     

Inês, que tem como futebolista de referência, David Beckham (estrela do futebol inglês), conta que esteve para ir jogar na África do Sul. “Estive perto de ir jogar na África do Sul, mas esse sonho não se concretizou. Espero que num futuro próximo possa sair para jogar fora do país”, disse.

 

A camisola 7 das “canarinhas” é de opinião que deve haver mais apoios para a massificação do futebol feminino.

 

 

Faltam apoios e incentivos para que o futebol cresça ainda mais em termos competitivos. É complicado fazer desporto sem incentivos, pelo que peço a quem de direito para levar mais a sério o futebol feminino”, conta.

 

Fora das “quatro linhas”, Inês diz que realiza actividades caseiras, no entanto mostra-se pouco hábil para cozinhar.

 

Acordo cedo, sobretudo nos dias que tenho treinos, para ajudar a minha mãe na limpeza da casa e outros afazeres domésticos. Não sou muito boa na cozinha, mas faço um bom arroz”, rematou.   

 

 

Fonte:Jornal Noticias